OAKEN Caso de Estudo - Cabinet Vision OAKEN Caso de Estudo - Cabinet Vision OAKEN Caso de Estudo - Cabinet Vision OAKEN Caso de Estudo - Cabinet Vision OAKEN Caso de Estudo - Cabinet Vision OAKEN Caso de Estudo - Cabinet Vision OAKEN Caso de Estudo - Cabinet Vision OAKEN Caso de Estudo - Cabinet Vision

Cabinet Vision o software que cria organização

"Nós começamos mesmo pelo software, antes até de decidirmos que mecanismo é que íamos colocar”

Bruno Martins trabalha com o Cabinet Vision há cerca de oito anos. Relembra que, em 2011 a versão do software era a cinco ou seis. Atualmente “torna-se muito mais simples lançar uma cozinha ou um roupeiro, do que era há uns anos atrás”. Em 2011, o maior problema era “o fazer acreditar (…) que o software realmente ia mudar a empresa para melhor”, afirma.

Ao longo destes oitos anos, Bruno experienciou o Cabinet Vision de três diferentes formas. Relativamente ao primeiro cenário: “É o da novidade, (…) houve maior tempo efetivamente para (…) explorar e esmiuçar o software. (…) Foi o período em que mais desenvolvi (…) e mais aprendi, sem dúvida.” No segundo cenário: “Já encontro o software implantado, é só dar continuidade e fazer ajustes a certas situações que se calhar não se estava a tirar o devido partido. (…) Recordo-me que (…) havia situações que podiam ser mecanizadas, mas não se tirava proveito do software na sua plenitude, apenas a 50% ou nem isso”. No terceiro cenário, no qual está atualmente junto com o seu sócio Nelson: “é um cenário diferente, de uma implantação de raiz numa empresa que não existia. (…) Quando nos sentamos à mesa e pensamos por onde vamos começar, nós começamos mesmo pelo software, antes até de decidirmos que mecanismo é que íamos colocar”, relembra Bruno. Com a sua vasta experiência no Cabinet Vision, defende que “a parte da planificação é muito importante na execução de um trabalho e numa empresa. (…) Julgo que isso (…) torna qualquer empresa mais competitiva, para além de todas as outras valências do software na parte produtiva em si”.



“Eu pelo menos aqui sabia que podia contar com uma equipa por detrás do mesmo, que tem um suporte técnico que nos ajuda, que nos dá apoio no dia a dia. (…) É importante não só a parte prática do software, mas também a parte do suporte.”

Bruno Martins, Sócio-Gerente

Quando questionado sobre a sua motivação para a escolha do Cabinet Vision, Bruno responde que “sendo o software que eu melhor conhecia (…) tem logo uma vantagem sobre os demais, o que não invalida que eu tivesse visto outras soluções, que vimos (…) mas não me davam as mesmas garantias. (…) Eu pelo menos aqui sabia que podia contar com uma equipa por detrás do mesmo, que tem um suporte técnico, que nos ajuda, que nos dá apoio no dia a dia e isso é importante. (…) É importante não só a parte prática do software, mas também a parte do suporte, de apoio ao software”.

Relativamente à implementação do Cabinet Vision na Oaken, Bruno conta que correu bem, “melhor do que eram as minhas espectativas iniciais”, pois relembra que no primeiro cenário a implementação foi um pouco demorada, talvez porque “o contexto da implementação não foi o melhor (…) e eu estava com algum receio, porque podia atrasar, bloquear em alguma situação. (…) Mas correu muito bem. Recordo-me que na altura o software foi instalado e colocado a trabalhar, a gerar código para as máquinas em dois, três dias. (…) A nível de formação na altura não era preciso, porque iria ser eu a arrancar com o software, (…) foi um passo que avançamos, mas havia a situação de o implantar num contexto que era o nosso”.

A adaptação das pessoas à mudança na produção, Bruno recorda que apenas um dos seus funcionários estaria já adaptado uma vez que, já conhecia o Cabinet Vision. Todos os outros “parecia que pensavam que iriam perder valências”, pois “estavam habituados a fazer muito trabalho, que o software agora estava a fazer por eles. Quer o pessoal que trabalhava nos CNC’s, quer o pessoal das linhas de montagem, estava habituado aqueles rascunhos e a ter que fazer furações manuais, moldes, … e o software revoluciona tudo!”. Como o software gera as instruções e as máquinas obedecem a essas instruções, o trabalho chega às linhas de montagem pré feito, “é quase uma linha de montagem de legos”. As pessoas não perdem a sua importância, ficam mais livres para outras responsabilidades não menos importantes: “existe uma ficha de produção (…) que tem determinadas instruções que têm de ser validadas. (…) Temos uma equipa responsável que nos dá total segurança.”

A Oaken com cerca de um ano de existência, possui já uma biblioteca bastante alargada, o que lhes permite serem versáteis, Bruno comenta que “se não fosse dessa forma, seria muito complicado”. O projeto estando elaborado mesmo que seja numa fase de orçamento, quando o cliente validar “90% do trabalho está efetuado”. É só fazer os ajustes necessários, “tirar medições para efetuar encomendas de tampos, (…) também temos essa vantagem com o software, que permite-nos desenhar os tampos e colocar furos… é uma ferramenta completa.”

Quando questionado sobre, se imaginava a sua empresa a funcionar sem recurso ao Cabinet Vision, Bruno diz que conseguiria produzir de qualquer forma mas que a parte assustadora seria quando estivesse na produção pois ”o rigor não iria ser o mesmo, (…) os timings de produção iriam ser extensos, nós assim temos uma produção que eu diria rápida, (…) poderemos conseguir uma cozinha num dia, dois dias e de outra forma era completamente inviável. (…) A grande vantagem que o software nos dá a nível de empresa, iria-nos ser retirada”. Bruno conta que existem muitas situações em que o software ajuda no dia a dia, fala da necessidade de tirar um armário de novo passado um ano da encomenda do cliente, “eu consigo saber com rigor em que materiais a mesma foi executada, quais as dimensões das peças, a localização dos furos, as ferragens que foram associadas à mesma, portanto apesar da empresa estar em constante evolução, em contante mudança, o software permite um rigor, que sem ele não seria possível.” Conhecedor de outras realidades, Bruno afirma que “o software cria organização na empresa”. Toda a informação sobre cada encomenda é guardada no software e “não em folhas que por vezes até se perdem. (…) O software guarda toda essa informação que mais tarde se precisarmos da mesma conseguimos aceder de forma rigorosa e concisa”.

Bruno Martins utiliza uma das grandes funcionalidades do Cabinet Vision que são os UCS – User Created Standard. Sobre a sua experiência conta-nos: “quando desconhecia por completo a ferramenta foi a parte que mais assusta efetivamente, mas ao mesmo tempo mais atrativa. É aquela parte em que nós pensamos, é aqui que eu posso desenvolver o software, é aqui que eu posso tirar o maior partido. (…) Tudo aquilo que não vem previsto no software de raiz, o software dá-nos a possibilidade de nós conseguirmos fazer por essa via e qualquer outra ferramenta não tem essa valência.” Na Oaken, utilizaram os UCS para criar uma séria de instruções que são dadas aos métodos de construção que utilizam diariamente. Bruno conta que isso trouxe uma confiança extra, quando os clientes fazem os mais variados pedidos específicos e diferenciados “só temos é que dizer ao software que, para este método construtivo utilizas este, (…) e se as instruções forem bem dadas o resultado é satisfatório”. Salienta ainda a importância da utilização dos UCS no que respeita à independência do utilizador, pois se existir uma urgência e o apoio não estiver ativo, com os UCS não há dependência de terceiros, “é importante nós conseguirmos de forma autónoma, tirarmos partido do software”.

Sobre o perfil ideal para se ser utilizador de Cabinet Vision, Bruno defende que deve ser alguém que também conheça a produção. Mesmo no caso de ser uma pessoa completamente inexperiente na área, deverá estar sempre ligada à parte produtiva “essa pessoa tem que conhecer o produto que está a planificar, tem que conhecer as dificuldades e as barreiras que os colegas (…) da parte da montagem e da marcenaria têm todos os dias, as dificuldades (…) dos colegas da montagem em obra (…), todas essas situações são importantes quando estamos a planificar uma encomenda e não só a parte de gabinete.” Com base na sua experiência, uma pessoa que não conheça o produto acabará sempre por ter problemas mais à frente pois “o software não adivinha, o software reage com base em instruções que lhe são dadas”. “É importante que a pessoa seja responsável, que seja dedicada, que seja alguém que queira aprender e que não se restrinja só à parte de software e de gabinete”.

Relativamente ao futuro, Bruno e Nelson dado à evolução e ao crescimento que a Oaken tem tido ao longo deste primeiro ano de existência, pretendem inserir mais elementos na equipa para o setor laboral e da planificação.


Sobre a Empresa

Nome: Oaken - Indústria de Mobiliário, Lda.

Àrea de Negócio: Fabrico de mobiliário


Benefícios alcançados

  • Rápida produção
  • Organização controlada
  • Automatização de todos os processos
  • Maior rendimento
  • Gestão futura assegurada

 

 

Próximo